GILBUÉS | Reportagem

Nossa Senhora Divina Pastora, um 15 de agosto diferente




Foto: Reprodução Google

Gilbués tem atualmente uma das maiores festas religiosas do extremo sul do Piauí, o novenário de Nossa Senhora Divina Pastora que tem inicio no dia 6 de agosto e encerra no dia 15, conta com uma das mais lindas procissões, e não é exagero, quem já participou pôde sentir de perto a emoção que é está lá, chegar de tardezinha à capela e caminhar pelas ruas acompanhando a imagem da padroeira. Filhos e filhas que estão dispersos pelo Brasil, veem como rotina anual a participação no novenário da mãe, como carinhosamente todos a chamam.

 
A imagem


São rasas as informações sobre de como se deu inicio o festejo, mas, entrevistando algumas pessoas conseguimos colher alguns fatos.



 

A imagem menor, que é a que sai em procissão exclusivamente no dia 15 de agosto, veio do Ceará, trazida por Zeferino Vieira dono do terreno onde foi construída primeira capela e onde também teve início à festa, que perdura a cerca de 164 anos. Já a imagem maior, que fica guardada no altar da Igreja Matriz, chegou ao Brasil há muitos anos, trazida da Espanha pelo Padre Paulo Azevedo.




 

Entrevistamos alguns populares que além de fiéis, também contribuem com a realização da festa, desde as missas até o grande dia, o 15 de agosto, quando acontece a procissão. Muitos participam desde criança, outros nunca imaginaram que as missas lotadas, os encontros no GDP, não iriam acontecer. Tudo isso devido as normas de segurança para prevenção da contaminação pelo novo coronavírus. A presença dos fiéis na igreja será reduzida, e os idosos e pessoas de grupo de risco deverão acompanhar as celebrações de suas casas por meio dos meios de comunicação.

 
Confira o relato de alguns populares entrevistados pela nossa reportagem.

 
“Para mim o que mais vai fazer falta são as missas, o novenário de nossa senhora divina pastora é o mais lindo do Sul do Piauí. O encontro com os amigos no ginásio Divina Pastora é um momento de descontração. Fico triste em saber que esse ano vai ser diferente pois nosso festejo é uma tradição onde esperamos o ano todo pra ele chegar.” Lamentou Henrique Guerra.

 
Saudades e confiança

 


 
“Sentirei mais falta das celebrações com certeza, de estar próximo dos irmãos, de irmos diariamente limpar, organizar e ornamentar o patamar da Matriz. Tudo isso com certeza fará bastante falta, mas saber que nós como igreja estamos contribuindo para a segurança não só minha e da minha família, mas de todos, é gratificante. Sairemos desta.” Nos relatou confiante Patrícia Dias.
 

Interpelado sobre os desafios de realizar a transmissão as celebrações, Bruno Vieira, secretário paroquial nos deu seu relato:


 
“Em um tempo como este, de pandemia, o maior desafio é oferecer uma transmissão de qualidade para que alcancemos o maior número de devotos de Nossa Senhora Divina Pastora, espalhados em Brasília, Tocantins e em outras regiões do Brasil. Neste ano, reforçamos a transmissão com um aparato mais profissional, usaremos câmeras profissionais , iluminação de qualidade e além de Facebook e Instagram , também transmitiremos pelo You tube e por uma rádio FM.”
 

Questionamos também o atual pároco, Padre José Valdo sobre como irão acontecer as celebrações.

 

 
“Aqui estamos nos organizando para acontecer o novenário, em meio as circunstâncias do momento, mas estamos nos organizando para que o povo possa fazer a novena mesmo suas casas. Com uma participação de 30% lá mesmo no patamar da igreja Divina Pastora.
Tudo está concorrendo para o bem. A maior dificuldade é não ter o povo, que tanto ama Divina Pastora, presente.  mais é compreensivo a sua ausência. Lutar pela vida e o primordial no momento.” Pontuou.

 
Como contribuir

 
Para que as missas sejam transmitidas pela plataforma do youtube é necessário que o canal da paróquia alcance a marca de 1.000 (mil), inscritos. Clique aqui, acesse o canal e se inscreva.


 



Confira o vídeo:




Galeria de Fotos:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM